segunda-feira, 20 de junho de 2011

O SEGREDO DE FRIDA KAHLO


Há algumas semanas, ganhei o livro “O segredo de Frida Kalho” de um querido amigo, o Daniel Lomastro e descobri mais um segredo de Frida: ela cozinhava! O livro, do escritor mexicano Francisco Haghenbecke é incrível, mistura ficção com realidade. Mostra um pouco da rica cultura mexicana, mais do que isso, mostra a culinária na vida de Frida Kalho.

“O DOCUMENTO PERDIDO DE FRIDA”

"Entre os objetos pessoais de Frida Kahlo havia um pequeno livro preto que ela chamava de “Livro da erva santa”. Era uma coleção de receitas culinárias para preparar as oferendas do Dia dos Mortos, já que, segundo a tradição, no dia 2 de novembro os defuntos têm permissão divina para visitar a terra, e nós devemos recebê-los com um altar com cravos, pães, doces, fotografias carregadas de recordações, imagens religiosas, incensos de aromas místicos, caveiras divertidas de açúcar, velas para iluminar o caminho para a outra vida, e os pratos prediletos dos falecidos. Ao ser encontrado entre os objetos do museu localizado na calle de Londres, no bonito bairro de Coyoacán, converteu-se num valioso achado, que seria exibido pela primeira vez na monumental exposição em homenagem a Frida no Palácio de Belas Artes, por ocasião de seu aniversário de nascimento. Sua existência confirmava a paixão e o tempo que ela dedicava a erguer seus famosos altares dos mortos.

No dia em que a exposição foi aberta ao público, o livrinho desapareceu. "

Queria agradecer o livro com um jantar. Mas, queria que o jantar tivesse total influência sobre o livro, não queria fazer somente um jantar mexicano. É interessante que o livro tem algumas receitas que não são totalmente mexicanas, tem alguma coisa italiana, americana... Algumas receitas eu reproduzi, outras usei os ingredientes e mudei a técnica. Infelizmente não encontramos muitos dos ingredientes usados por lá, que são regionais. Principalmente a variedade de pimentas.

Queria que esse jantar fosse na casa do André Peixoto, acho que tem o clima da casa azul de Frida. O decór ficou por conta dele também:




Tentei relacionar a maioria dos pratos com passagens no livro e momentos marcantes na vida de Frida. Menu definido e impresso:



COUVERT: NACHOS E BROA DE MILHO SALGADA COM SOUR CREAM

ENTRADA: CALDO MEXICANO DE GALINHA.
“Um dia Diego convidou uma daquelas gringas sabe-tudo, e ela me perguntou por que tudo no México leva frango. Eu nunca havia pensado nisso. O frango é a base de nossa alimentação. É por isso que não tenho dúvidas: o caldo de frango é mexicano; não importa se foi criado pelos franceses, com certeza era comprado no mercado de La Merced.” p.65

 
 
PRIMEIRO PRATO: FILÉ DE PORCO ASSADO COM TEQUILA E REDUÇÃO DE SANGRITA COM CANJIQUINHA.

“A sangrita é a mulher. É a que tem cheiro de tempero e cebola. A que dá cor e ardido ao macho tequila. Os dois juntos são o idílio perfeito. Como eu gostaria de ser assim com meu Dieguito. Mas ele pode ser meu amigo, meu filho, meu amante, meu colega; nunca meu esposo. Depois do desastre que sofri com o bonde, ele foi meu pior acidente.” P. 20

SEGUNDO PRATO: RAVIOLI DE TAMALES COM ANCHOVAS E AZEITONAS.
“Para encher o bucho de todos aqueles glutões que chegavam ao apartamento de Tina, ela entrava com os tacos, e eles com a bebida e o tabaco. Era uma façanha preparar para todos. Púnhamos uma grande caçarola com macarrão, e Tina fazia vários molhos. Na mercearia da esquina, ao lado do Edifício Condesa, nosso lojista conseguia um grande queijo cotija defumado para substituir o parmesão. Era mais barato, e um pintor bêbado não reconhece a diferença.” P. 73

SORBET DE CAJÁ-MANGA.


TORTA DE MAÇA DA TIA EMY COM CALDA DE ROMÃ

“A comida na Gringolândia”



“Não gostei nada de comer no meio dos branquelos. Eu só queria um ovo mexido com sua pimentinha e uma pilhazinha de tortillas, mas não havia jeito, tinha que ficar quieta e engolir os insultos para desfrutar do mundo moderno.

O que eu gostava era de seus bolos. Eram como edifícios perfeitamente construídos. Também gostava dos restaurantes de negros. Ali tudo era colorido, desde a música até o amável sorriso da garçonete.” P. 114

Harmonizamos tudo com vinhos, poderia ter sido pura tequila né?

Talvez seja muita pretensão eu tentar homenagear Frida, mas o bacana de tudo, é o clima de festa, de celebração. Não posso dizer que esse foi o clima recorrente em toda a vida de Frida Kahlo, talvez em valiosos momentos. Temos uma visão muito romantizada da artista. Frida é puro sofrimento e sua obra é tão marcante por conta disso. Sou apaixonado por ela, como muitos são. Mas sou mais apaixonado pela forma que ela lidou com sua tragédia. Com coragem, audácia e dedicação ao seu amado Diego Rivera. Acho que o filme retratou muito bem sua vida, mas lembre-se: Frida foi muito além de qualquer história contada.

Que fiquem os sabores, os aromas e todas as cores de Frida Kahlo!

 

10 comentários:

  1. Mauro, que post lindo! Da deoração nem preciso falar, mas os pratos e os fragmentos de texto, nossa, gostei muito! Parabens :)

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado Richie!!! Você viu que além da inspiração do livro, a tortinha de maçã teve inspiração nas suas?

    ResponderExcluir
  3. Fantástico Mauro... Amei, amei!!!!
    E as fotos tmb ficaram lindas... :)

    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Belo jantar! Esse e outros que já vi por aqui ;)
    Abraços,
    Bergamo

    ResponderExcluir
  5. @jubuosi, muito obrigado, saudadeee! @bergamo, quanta honra você por aqui! :)

    ResponderExcluir
  6. hahaha...estou sempre por aqui ;)

    ResponderExcluir
  7. Depois de passado alguns dias, tenho por obrigação de comentar esse post e não o fiz antes pelas razões que você bem conhece.
    Não apenas como anfitrião e como seu amigo particular, esse jantar foi muito especial justamente por ser um amante da obra e da pessoa Frida Kahlo, sem contar a homenagem ao Daniel que é um cara que tanto prezo.Cada vez mais é impressionante a forma com que você lida com essa paixão pelo seu dom de cozinhar. Parabéns mais uma vez por todos os jantares (dos que participei ou não), por todos os sabores e pricipalmente pela arte que você impõe aos seus pratos.

    ResponderExcluir
  8. Querido André, é sempre um prazer cozinhar pra você! Além de um grande amigo, você é um excelente crítico!

    ResponderExcluir
  9. Mauro, eu como mexicano adorei o texto, as fotos e a decoracao!!!

    ResponderExcluir
  10. Amei o post! O Menu ficou lindoo! a decoração...tudo! Você pegou a essência dela! Degustaram Frida!!! Lindo, Lindo, Lindo!

    ResponderExcluir